Você está aqui: HomeDicas - Nutrição Infantil8 mentiras sobre a Obesidade Infantil

Transição Alimentar: conselhos de um bebê de 6 meses

Avaliação do Usuário
PiorMelhor 

Transição Alimentar

Carta de um bebê de 6 meses sobre sua Introdução (Transição) Alimentar

 

Mamãe e papai,

Acabei de completar 6 meses. Resolvi escrever uma listinha de pedidos para facilitar a nossa vida agora que a minha introdução alimentar começou, ok? Por favor, leiam com carinho e acreditem em mim. Vamos lá!

1. Por favor, preparem a minha comida com muitos temperos naturais. Eu não gosto de comida sem graça. Quanto mais cedo eu me acostumar com gostos fortes, menos dificuldade de aceitação eu terei quando crescer.

2. Quando eu demonstrar interesse em pegar a comida com as minhas mãos, por favor, me deixem! Eu acabei de chegar ao mundo e aprendo muito, mas muito mesmo, através do tato. Eu vou fazer muita sujeira, mas vou aprender muito.

3. Por favor, evitem me dar papinha industrializada, principalmente essa novidade do mercado que vem em um sachê. Eu não consigo ver o que está dentro do sachê, então não tenho como aprender sobre o que estou ingerindo. Eu gosto de ver o que como!

4. Quero muito poder experimentar várias texturas. Por favor, não passem meu almoço nem meu jantar no liquificador! Preciso me acostumar desde pequeno a lidar com texturas diversas dentro da minha boca para depois não estranhar nada.

5. Vocês gostam de fazer as refeições sempre sozinhos, sem companhia? Nem eu! Sempre que possível,  gostaria de almoçar e jantar no mesmo horário que vocês. Assim, vou aprender várias coisas sobre alimentação observando as pessoas que mais admiro.

6. Por favor, não liguem a TV nem coloquem um aparelho eletrônico na minha frente quando for a hora de comer. Eu preciso me concentrar na comida, para poder aprender direitinho o que está entrando na minha boca.

7. Eu não preciso ficar tomando sucos diariamente, mesmo os frescos e naturais. Eles têm poucas fibras e muita frutose. Quando eu estiver com sede, quero beber água. Quando eu quiser um lanchinho, prefiro comer uma fruta em vez de beber um suco. Além de saudável, o hábito de beber água é também muito mais prático e mais barato! Quando formos passear ou quando eu entrar para a escola, por exemplo, só preciso levar uma garrafinha térmica com água em vez de suco de caixinha.

8. Eu posso ser MUITO feliz na minha infância mesmo que eu não coma açúcar regularmente. O açúcar não tem nutriente algum e muito provavelmente vai viciar meu paladar, fazendo com que eu deixe de comer coisas mais amargas, como alguns vegetais. Na hora do lanche, por favor, me deem uma banana e não um biscoito maizena.

9. Por favor, não me forcem a comer. Se vocês me forçarem, estarão dando o pontapé inicial para eu desenvolver uma péssima relação com a hora da refeição. E isso pode durar a vida toda.

Acho que é isso que eu tinha para pedir. Podem acreditar em mim. Pode até ser que dê mais trabalho me alimentar assim agora do que com as tradicionais papinhas na colher. Mas eu garanto que o esforço nessa primeira etapa vai mostrar resultados lá na frente.

Um beijo,
Seu filho

(esta carta recebi de uma amiga, em nenhum lugar há menção do nome do autor, se alguem souber quem é o autor, por favor mande dizer que darei os devidos créditos para o autor desta linda carta)

Dicas Nutrifeliz : mais algumas dicas que serão muito uteis no seu dia-a-dia

Deixe seu pequeno comer com as mãos 
A primeira aventura de seu pequeno com a comida será com as mãos. Essa fase é fundamental para que ele descubra a textura dos alimentos. Os pais podem começar a dar alimentos com alguma consistência, como uma bolachinha, biscoito de polvilho, uma banana ou uma fatia pequena de maçã. A criança deve conseguir segurar o alimento sem esmagá-lo.

Brincar com a comida é permitido 
Nesta fase, a diversão será inevitável - e até mesmo saudável. É assim que o bebê irá descobrir como se manuseia o alimento. Deixe o babador a postos e fique tranqüilo se for parar comida na cabeça, no colo... 


Inclua talheres na brincadeira

Aos poucos, os movimentos com as mãos se tornarão mais precisos. Ao perceber isso, os pais já podem introduzir mais um elemento no jogo: os talheres. O ideal é que isso comece quando o pequeno quiser segurar o talher junto com o adulto, em uma tentativa de aprendizado. A princípio, o bebê não saberá fazer isso, vai deixar o talher, não vai conseguir colocar comida na colher, não vai conseguir levá-la à boca, mas é importante continuar tentando. 

Os talheres mais indicados são aqueles mais "grossinhos", os de  silicone,  machucam menos e são mais fáceis de segurar, EVITE os de plástico, podem quebrar e machucar o bebê.

Os de metal, prefira sempre os mais grossos, a maioria são muito finos e tem maior capacidade de cortar, podem machucar o bebê, já que ele não tem noção de profundidade. Não é preciso comprar as colheres com cabinho torto, já que é necessário que o pequeno se adapte a segurar o talher que usará até a vida adulta.

Estabeleça uma rotina 
Um bebê que acorda cedo, toma mamadeira cedo e come uma fruta, aproximadamente, às 10horas, terá fome quando chegar a hora do almoço. Agora, se ela acordou tarde e comeu tarde, na hora do almoço ela não vai querer comer, e isso dificulta o processo. A criança precisa de rotina, de disciplina, mas sem estresse, para que os momentos das refeições sejam mais agradáveis.

Use copinhos com alças
Já tentou substituir a mamadeira pelo copinho? Ele treina a coordenação da criança e simula o mesmo movimento que a boca do bebê faz no peito da mãe, ao contrário da mamadeira. É Recomendado aquele copinho com bocal e alças, uma ou duas, para que facilite na hora de segurar. 

Ofereça os alimentos certos
 
A comida deve ser chamativa para aumentar a curiosidade e a vontade da criança de comer sozinha. Vale picar batata, beterraba, tomate e lascas de carne e de peixe, com um tempero agradável de óleo de oliva. A criança irá aprender a diferenciar cores e movimentar bem os dedinhos, além de receber novidades alimentares saudáveis. 


Sirva de exemplo

O bebê tem o costume de imitar os adultos e fará isso na hora das refeições também. Por isso, manter horários regulares nas refeições e ingerir alimentos saudáveis são ótimos passos na hora de incentivar seu pequeno a aprender a comer sozinho. A família que não tem um horário para todos comerem à mesa diminui a aceitação da criança ao alimento. Deve existir pelo menos uma refeição em família.

Quanto mais tranquila for esta passagem, mais sucesso terá os pais na educação nutricional de seus filhos, e lembre-se "aprendemos com exemplos, nada adianta mandar a criança comer brócolis se os pais não comem brócolis....

 

Fica ai a dica....

beijos nutridos de muito carinho!!!!

Compartilhar

Comentários   

 
0 # Marisa Silveira 24-07-2015 10:45
Prezada Claudete,

A carta acima é de minha autoria e foi publicada originalmente no meu blog Eco Maternidade. Que bom que você gostou e compartilhou.

Segue o link original: http://ecomaternidade.com.br/carta-de-um-bebe-de-6-meses-sobre-sua-introducao-alimentar/

Um abraço,
Marisa
 

You have no rights to post comments

Quem Está Conectado?

Temos 52 visitantes e Nenhum membro online

Visitantes

511451
Hoje
Ontem
Nesta Semana
Última Semana
Este Mês
Último Mês
Geral
24
572
824
505470
13472
20472
511451

Seu IP: 23.20.248.132
Hora do Servidor: 2017-08-22 00:14:47

Coach

Logo_Coach.png
DESIGN_BY

Distributed by SiteGround